Jump labels

IGREJA NOVA VIDA

              Notícias dos Países Perseguidos


Primeiras prisões de agressores a igreja em Bagdá
   
<B>IRAQUE (17º) </B>- Quase um mês depois de um dos piores ataques contra cristãos no Iraque, houve a primeira detenção, segundo um funcionário do ministério do interior no sábado, dia 27 de novembro.

Sob condição de anonimato, um funcionário falou à agência France-Presse que 12 membros do grupo responsável pelo ataque à igreja em 31 de outubro em Bagdá, foram presos.

O grupo militante sunita do estado islâmico do Iraque assumiu a responsabilidade pelo ataque contra os cristãos da Nossa Senhora da Salvação, igreja matriz católica de Bagdá. Os militantes invadiram a igreja durante uma missa vestindo coletes suicidas e fizeram cerca de 120 pessoas como reféns. Foram mortas 60 pessoas, principalmente cristãos, e outras dezenas ficaram feridos.

Desde então, os ataques anticristãos continuaram. Os líderes da igreja e da comunidade internacional condenaram os ataques.

O porta-voz da Segurança Nacional dos Estados Unidos Mike Hammer, disse em comunicado que a América condena veementemente os ataques terroristas no Iraque e ofereceram condolências às famílias das vítimas.

O Papa Bento XVI qualificou o ataque de "absurdo" e o Conselho Mundial de Igrejas também denunciou a violência.

Enquanto isso, a defesa dos direitos humanos diz que os extremistas estão concentrados em eliminar o cristianismo do Iraque.

"Uso a palavra religião para explicar às pessoas o que realmente está acontecendo no Iraque agora," disse Carl Moeller, presidente da Portas Abertas nos EUA.

O Alto Comissariado da ONU para os refugiados estimou no ano passado que, desde a invasão americana liderada no Iraque em 2003, até 500 mil cristãos deixaram o país. Anteriormente, cerca de 1,2 milhões de cristãos viviam no Iraque.

Fonte: <B>Christian Post</B>





A Portas Abertas Internacional convoca os cristãos à oração

<B>COREIA DO NORTE (1º) </B>- A Coreia do Norte é previsível em sua imprevisibilidade. Seus líderes têm feito tudo o que poderiam para criar uma crise na península Coreana. Seu exército torpedeou e afundou um navio da marinha Sul Coreana no início deste ano. No último domingo, 21 de novembro, tornaram-se conhecidas que a Coreia do Norte abriu novas instalações para enriquecer urânio.

Quando não tinham o desejo significativo e a Coreia do Sul continuou a realizar exercícios militares, a Coreia do Norte decidiu atacar a ilha às 14:30h, em 23 de novembro de 2010. A artilharia de bombardeio matou, pelo menos, dois soldados e feriu outros 15. O presidente Sul-Coreano chamou isso de retaliação. Ninguém sabe o que irá acontecer, mas o irmão André nos ensinou a sempre fazer uma pergunta: Há uma Igreja?

Ainda que o bombardeio de Yeongpeong seja a violência na pior escala desde o armistício de 1953, a estratégia por detrás é notavelmente previsível, e também brutal e efetiva. Kim Jong-un, nomeado sucessor de seu pai, precisa mostrar ao país – e ao mundo no que diz respeito ao assunto – o quão forte ele é. E ele precisa de uma maneira de extrair ajuda econômica e outras concessões.

Para a Coreia do Norte criar um senso de urgência para as Six-Party Talks, que são vitais para a sobrevivência da República Democrática da Coreia, como é oficialmente chamada, os líderes dispersam a comunidade internacional de recorrer aos seus direitos humanos e crises de alimento. A Coreia do Norte sabe que a comunidade internacional não quer uma reunificação rápida com o Sul. Ninguém estaria pronto. É desconhecido como a situação atual irá terminar, mas a Coreia do Norte joga cada jogo como se não tivesse nada a perder.

Oração


Em seu livro ‘Oração – a verdadeira batalha’ (tradução livre) o irmão André, fundador da Portas Abertas Internacional, desafia os cristãos a fazer uma pergunta sempre que uma crise ocorre em algum lugar do globo: Há uma Igreja? Há uma Igreja em ambos os lados da zona desmilitarizada que separa o Norte do Sul. Mas eles não poderiam ser mais diferentes.

Enquanto os cristãos sul-coreanos adoram a Deus livremente em suas igrejas, seus aproximadamente 400.000 irmãs e irmãos norte-coreanos lutam para sobreviver e são perseguidos impiedosamente. Por anos, a Coreia do Norte tem permanecido o número um da Lista de Classificação de Países por Perseguição, é um dos países onde é mais opressivo para um cristão viver. Até a posse de uma Bíblia pode motivar a morte de toda uma família ou enviá-la para um kwan li-so (centro de reeducação), um campo de concentração comparável ao Auschwitz-Birkenau (nome de um grupo de campos de concentração localizados no sul da Polônia, símbolos do Holocausto perpetrado pelo nazismo). Ninguém deixa esses campos vivos.

Muitos cristãos podem somente adorar a Deus quando toda a sua família é cristã. Cantar e orar em alta voz são muito perigosos. Contar a seus filhos sobre Cristo é muito arriscado. Os pais contam as suas crianças histórias da Bíblia como se fossem contos de fadas. Esta é a única maneira que os pais podem compartilhar algo de sua fé. Encontro de cristãos fora de sua família é praticamente impossível. Somente em ocasiões raras os cristãos podem adorar ou compartilhar juntos.

Entre 50.000 e 70.000 cristãos estão em campos de trabalho por causa de sua fé. No total, há centenas de milhares de prisioneiros em campos políticos, prisões e campos de reeducação. Em setembro, muitos prisioneiros e pessoas sentenciadas aos campos de trabalho foram perdoados por causa do Congress Party que conteve esse mês. Mas os campos vazios precisavam de uma nova mão-de-obra. O Ministério de Segurança prendeu temporariamente muitos outros e criou uma população fresquinha para o campo.

A Portas Abertas Internacional mantém os cristãos norte-coreanos em secreto com Bíblias, livros, educação e ajuda. Recebemos com frequência cartas de agradecimento de líderes de igrejas. Em cada carta, a Igreja global colabora com seu amor e provisão através das Portas Abertas Internacional. Em cada carta eles nos convocam a orar.

Nas palavras de um líder de igreja: “Estou muito admirado de ver nossas vidas de crentes de fé se tornando mais e mais estabilizada. Suas vidas estão em perigo todos os dias e ainda seguem o Senhor. Isso não poderia ser possível se não fosse pelo seu amor e empenho sem fim para com nossos crentes. Por favor, continuem orando por nós”.

Pedidos de oração:Ore por uma solução de paz para o conflito atual e sabedoria para os líderes de todas as partes envolvidas. Ore por persistência, força e proteção para a Igreja. Ore pelo trabalho da Portas Abertas Internacional no fortalecimento da Igreja Perseguida na Coreia do Norte.


Tradução: Tatiane Lima



Fonte: Portas Abertas 

 

.